sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Eu não vou cortar meus pulsos,

Eu não vou provocar mais uma vez as dores já sentidas dantes, eu não vou fazer descer meu sangue. Eu não posso cortar meus pulsos e sentir prazer nisto; eu não quero ser escravo da dor. Eu não vou arriscar de novo e fazer-me sentir a dor mais uma vez; eu não posso viver em favor da derrota e do fracasso.
Meus pulsos estão cortados mas já estão sarando, não posso ferir-me de novo.
E-mail Del.ici.ous BlogThis! Technorati Compartilhe no Twitter StumbleUpon Compartilhar no Facebook Promova este post no orkut Share to Google Buzz

8 comentários:

palavras ao vento disse...

bela postagem...gostei do texto...

Uvirgilio disse...

Ah vontade de cortar os pulsos!

Raul disse...

Bom texto, expressa muito sentimento.

KGeo disse...

profundo o texto meio sinistro mais um texto bom

Talita Dantas disse...

Uau! Quanto sentimento!
Adorei o texto... É forte e conciso!

A dor, muitas vezes, é uma valvula de escape momentaneamente aliviadora, porém muito muito perigosa.. Entendo bem isso!

Parabéns pelo blog e obrigada pela vista e comentário!
Seguindo de volta!

danielacristofoli disse...

profundo einnn,
ótimo blog. parabéns!
http://etcmodaetal.blogspot.com/

BEPClub disse...

Nossa, muito bom seu texto, adorie o blog. Seguindo!

#Daanda Reverend.' disse...

gostei muito do texto *-*
Parabens pelo blog!

Postar um comentário

Tem gente que só lê o título da postagem, mas não se dá ao trabalho de ler o restante, aí tem a audácia de vir aqui abaixo e comentar o que não leu. Tem coisa pior? Por favor, quando você for comentar em um dos meus textos, não ler apenas o título.

Pior do que não comentar, é comentar o que não leu.