domingo, 22 de janeiro de 2012

"Cachorro" vivo

Já diziam os mais sábios: ninguém chuta cachorro morto. Sabe que é verdade? Olha, é por isso que agradeço a todos os chutes e pedradas, pois não me chutariam se eu tivesse morto e ninguém apedreja árvores que não dão frutos, pois árvores que não dão frutos são cortadas e lançadas ao fogo. Eu não os chuto porque são cachorros mortos, não mortos porque deixaram de viver, mas sim porque deixaram de existir, afinal nunca viveram, apenas existiam. Cachorros vivos causam medos, cachorros vivos muitas vezes causam inveja à outros que já morreram. Enfim, obrigado por todos os chutes.


E-mail Del.ici.ous BlogThis! Technorati Compartilhe no Twitter StumbleUpon Compartilhar no Facebook Promova este post no orkut Share to Google Buzz

7 comentários:

João Alexandre disse...

Muito legal o texto!!! ;)

Jajá disse...

q interessante sua observação, mas acho q existem sempre os dois lados da moeda, ninguem é perfeito... existimos por algum motivo "oculto", isso pode ser bom ou ruim, vai depender de cada individuo... as vezes ou quase sempre os "chutes" q levamos serve de lição para q nao possamos repetir os erros e seguir em frente sempre!

www.jaylsonbatysta.blogspot.com

Rafael Filho disse...

Legal seu texto, e é verdade.

Fernando disse...

Olá Diogo
Não tem como escapar dos chutes e pedradas da vida né, temos é que estar sempre preparados para levantar e ir em frente, até para provar que estamos vivos né rsrsrsrsr.
Gde abraço
Fernando dos Santos
http://fernopinari.blogspot.com/

Viccitor disse...

Isso aí, sempre caminhando em frente de cabeça erguida!

depoisdosdozee disse...

Nossa que texto forte :)
muuito bom gostei muito !

B. disse...

Adorei a comparação, muito inteligente.

Postar um comentário

Tem gente que só lê o título da postagem, mas não se dá ao trabalho de ler o restante, aí tem a audácia de vir aqui abaixo e comentar o que não leu. Tem coisa pior? Por favor, quando você for comentar em um dos meus textos, não ler apenas o título.

Pior do que não comentar, é comentar o que não leu.